Oi oi gente, hoje eu vim contar um pouquinho desse livro que veio na edição passada da box escotilha. 
Primeiramente, a escotilha ns é um clube de assinaturas de conteúdo sci-fi, thriller, etc., então se você gosta desse tipo de gênero literário eu recomendo que assine, os preços são baratinhos e você pode conferir no post aqui do blog um pouco mais nao só desse mas de outros clubes de assinaturas literários.

!Clubes de assinatura literários!

Esse romance de terror escrito por Clara Reeve contra varias historias separadas que formam um enredo completo, ler esse livro é como assistir uma novela, cada historiazinha contribui para o final. 

Atenção: Essa resenha pode conter spoilers, tento ao máximo não postar como sabem mas sempre sai uma coisinha ou outra.

Aviso dado vamos ao livro, ele começa pela historia de Sir Philip que retorna a Inglaterra a procura de seu amigo, ao chegar ao castelo onde Arthur Lovel morava descobre que ele está morto e a propriedade foi vendida ao barão Fitz-Owen. 

Esse barão tem um bom coração, e uma família muito grande vive ali pois além de seus filhos e sua adorável esposa Fitz-Owen também dá seu lar para que seus sobrinhos e até mesmo o filho de um camponês que chamou a atenção de todos, Edmund Twyford.

Como já era de se esperar, o que Edmund tinha de graciosidade atraia rivais e inimigos que invejavam o porte que o rapaz tinha, inimigos esses que tentavam a todo custo queimar a imagem de Edmund, e depois de tantas fracassas com as tentativas finalmente conseguem. Edmund é colocado então a prova de uma vez por todas. Ele é designado a dormir na área leste do castelo, área onde o antigo dono Lovel e sua esposa viviam antes de falecer ala considerada assombrada por fazer barulhos a noite e até mesmo aparições de silhuetas nas sombras, como se algum fantasma vivesse ali. Destemido o garoto encara esse pedido e acaba se surpreendendo com o que descobre naqueles aposentos. Dali parte em busca da verdade sobre a morte dos Lovel, ao mesmo tempo em que busca saber mais do seu passado. 


O a escrita é em forma de manuscrito, bem pesada e de difícil entendimento, vez ou outra a gente precisa reler o que estava escrito por se perder nas palavras, eu particularmente gosto de quando a história não enrola mas nesse caso ela ficou acelerada demais e as coisas se atropelam, não acho justo avaliar com a desculpa de "é um livro escrito em época antiga" porque há vários do mesmo ano que isso não acontece. As coisas para Edmund acontecem "fáceis demais" e isso também é decepcionante, visto que o livro foi escrito em 1777 sob olhar da mesma época, as coisas que aconteciam não eram assim tão simples de serem provadas e tampouco se terem tamanho sucesso. Eu poderia dizer que embora seja escrito como um Romace Gotico, a vida do garoto é um conto de fadas de tamanha facilidade e tudo dando certo. O livro também ressalta muito o cristianismo, é basicamente a base que explica todas as partes que são inexplicáveis.

Não posso dizer que é uma leitura agradável e tranquila porque é de difícil entendimento, entretanto é uma historia que mesmo sendo bem obvia te envolve a querer saber logo o final.


Titulo: O Velho Barão Inglês.
Autor: Clara Reeve.
Ano de Publicação: 1777 (edição Escotilha NS 2021).
País: Inglaterra.
Quantidade de paginas: 158.
Gênero: Romance Gótico.
Sinopse: A história segue as aventuras de Sir Philip Harclay, que retorna à Inglaterra medieval para descobrir que Arthur Lord Lovel, o amigo de sua juventude, está morto. Seu primo Walter Lord Lovel foi o sucessor da propriedade e vendeu o castelo da família ao barão, Fitz-Owen. Entre a família do barão estavam seus dois filhos e filha Emma, ​​vários jovens parentes de cavalheiros sendo educados com os filhos, e Edmund Twyford, o filho de um camponês, que fora trazido para morar com eles. Quando Sir Philip o viu, imediatamente gostou dele, sendo tocado por sua semelhança com o amigo perdido. O cavaleiro propondo-se a recebê-lo em sua própria família, não tendo filhos, Edmund preferiu ficar com o barão, recebendo, entretanto, a garantia de que se algum dia precisasse, Sir Philip renovaria sua oferta. A narrativa então ultrapassa o intervalo de quatro anos. Por sua natureza e qualidades manifestamente superiores, Edmund atraíra a inimizade dos sobrinhos de seu benfeitor e a frieza de Sir Robert, o filho mais velho. William, seu irmão mais novo, é seu amigo fiel, porém, e Edmund está apaixonado por Lady Emma.