Oi, oi como vai? Pra iniciar o ano trouxe para vocês o livro que me ganhou o coração no final do ano passado, "A madona e a Vênus" da talentosa escritora brasileira Catarina Muniz, Veja abaixo a sinopse do livro. Ah e  te alerto que essa resenha pode conter alguns pequenos spoilers.

1481, Florença, Itália. A cidade mais fremente do mundo, berço dos maiores pintores, arquitetos e escultores de toda a História, é o cenário de um intrincado triângulo amoroso entre a camponesa Francesca di Boscoli, a duquesa de Milão, Alessia Sforza, e o aspirante a pintor Vincenzo Mantovani. Francesca busca apenas paz em sua vida, já tão carregada de cicatrizes. Vincenzo espera ser reconhecido como um dos maiores artistas de seu tempo. E Alessia, a bela mecenas, busca impor sua vontade, custe o que custar! O Renascimento Cultural italiano é o pano de fundo deste romance que promete trazer ao leitor fortes emoções. Benvenuti!

fotografia por Marcia Fernanda

A história é um romance bem apaixonante, que não te faz largar o livro por nada, eu mesma o li em 9 horas de tão interessante que estava a história. Ele tem o desenvolvimento rápido, e não enrola descrevendo demais as coisas e cenário da cena - coisa que eu adoro pois me permite usar a minha própria imaginação para criar o local onde os personagens estão - entretanto ela descreve bastante os personagens, fazendo que você consiga os visualizar perfeitamente bem. 

Na história temos Francesca uma camponesa noiva de Giane, a garota é de família humilde que mora com seu pai e seus três irmãos; eu posso dizer com todas as letras que nenhum azar seu chegará tão perto do quanto essa moça sofre no inicio do livro. A cena inicial já te da um tapa na cara inacreditável, você consegue sentir a dor que a garota sentiu, e te faz semear um ódio enorme por Giane. 

Devido aos acontecimentos a garota parte para a cidade, deixando tudo e todo o seu passado para trás, sem ter a onde morar, sem dinheiro e com fome ela se submete a trabalhar em uma taverna em troca de abrigo e comida, mas claro, nem tudo são flores, seu trabalho é exaustivo e sua vida não é das melhores... Nessa mesma taverna em um dia de trabalho ela conhece Vincenzo, um pintor em busca de reconhecimento. 

Vincenzo é um rapaz bonito e de bom coração, vem de uma família rica e importante com aquele clichê de "eu queria que você fosse advogado meu filho mas tudo bem vá tentar seguir seu sonho", aquele falso incentivo aos filhos seguirem seus sonhos mas que no fundo querem que de errado. 

Em um dia Vincenzo vê Francesca na rua comprando mercadoria para a taverna a mando de seus chefes e a convida para ser sua modelo, Francesca ate aceita o pedido mas ao ver como teria que pousar se sente um pouco exposta demais e desiste ali mesmo. 

Se lembra que eu falei o quanto a vida de Francesca é ruim? O destino vai lá e piora tudo para a garota, algumas confusões acontecem na taverna e ela acaba sendo expulsa de lá pela esposa ciumenta do dono do lugar. Sem teto, com fome, e doente, Francesca não vê outra maneira se não procurar por Vincenzo para pedir ajuda. E ele é claro ajuda de bom grado. 

Umas conversas aqui, outras ali, o romance deles nasce aos poucos percebido pelo leitor mas despercebido pelos personagens, algo muito gostoso de acompanhar, tem algumas cenas bem quentes mas claramente não é isso que move o romance dos dois. Francesca estava vivendo muito bem, chegando a fazer pensar que ela finalmente teria um final feliz. E então entra em cena uma nova bomba, a Duquesa Alessia, enviada pelo pai de Vicenzo para lhe contratar a um trabalho em sua casa. Vicenzo se anima com a proposta, Francesca nem tanto, porém era uma boa oportunidade para o rapaz e ela se contenta com o que acontece. 

Dai em diante muita coisa acontece, Alessia faz de tudo para separar Vicenzo de Francesca por querer se casar com o pintor, mentiras, façanhas, sedução e maldade fazem parte de toda essa nova trama da história, trazendo coisas que nem mesmo eu acreditei ao ler que eram capazes de acontecer. 

O final do livro é bonito mas um pouco sofrido, uma coisa que eu gostei muito foi o retrato exato de pintores da época e quando finalmente chega a fama para eles. O livro traz outros pintores famosos como Leonardo Da Vinci, que no livro era um grande amigo de Vicenzo, além de detalhes importantes sobre como a vida de um artista pode ser.

Para quem gosta de um bom romance de época, esse livro vai suprir todas as suas necessidades, é cheio de romance, falas com trechos em francês que te fazem ter um desejo de viver aquela época.